terça-feira, 5 de setembro de 2006

Arquivo Audio

Pode aqui aceder a todos os ficheiros audio deste blogue.

Poetas cantados:

Bertold Brecht:
“Mack the knife" , na voz de Louis Armstrong

Fernando Pessoa:
“Do vale à montanha..." (Cavaleiro Monge), na voz de Mariza
“No comboio descendente..." , na voz de José Afonso

Florbela Espanca:
“Ser poeta" , interpretado pelos Trovante

José Afonso:
“Balada do Outono", na voz de José Afonso
“Era um redondo vocábulo", nas vozes de Cristina Paiva, Teresa Silva Carvalho e José Afonso

Manuel Alegre:
“Trova do Vento que Passa", interpretado por LJS & Pacman

Natália Correia:
“Queixa das Almas Jovens Censuradas", na voz de José Mário Branco

Paul Verlaine:
“Chanson d'automne”, na voz de Léo Ferré

Pedro Homem de Mello:
“Sei de um rio”, na voz de Camané

Pierre Delanoë:
“Et maintenant...”, na voz de Gilbert Bécaud




Poemas em voz alta:

Albano Martins:
“O nome da ausência”, na voz de Luís Gaspar
“Poema para habitar”, interpretado pela Andante

Al Berto:
“Escrevo-te”, na voz de Luís Gaspar

Alexandre O’Neill:
“Daqui, desta Lisboa compassiva...”, na voz de Luís Gaspar
“Fala”, na voz de Luís Gaspar
“Poema pouco original do medo”, interpretado pela Andante
“Um adeus português”, na voz de Luís Gaspar

Algernon Charles Swinburne:
“Deitado”, na voz de Luís Gaspar

Almada Negreiros:
“Centenário das Palavras”, interpretado pela Andante
“Manifesto Anti-Dantas”, na voz de Almada Negreiros

Almeida Garrett:
“As minhas asas”, na voz de Luís Gaspar

Álvaro Magalhães:
“Fala a preguiça”, interpretado pela Andante
“O Limpa-Palavras”, interpretado pela Andante

Amadeu Baptista:
“Templo de Luxor”, na voz de Luís Gaspar

Ana Hatherly:
“Balada do país que dói ”, interpretado pela Andante
“Sem Amor ”, interpretado pela Andante

Ana Luísa Amaral:
“Silogismos”, na voz de Luís Gaspar

António Botto:
“Curiosidades estéticas”, interpretado pela Andante
“Se passares pelo adro...”, na voz de Luís Gaspar

António Gedeão:
“A um ti que eu inventei”, na voz de Luís Gaspar
“Aurora boreal”, interpretado pela Andante
“Calçada de Carriche”, na voz de Luís Gaspar
“Dez reis de esperança”, interpretado pela Andante
“Dia de Natal”, interpretado pela Andante
“Máquina do Mundo”, na voz de Luís Gaspar
“Pedra Filosofal”, na voz de Luís Gaspar

António Lobo Antunes:
“Rigoroso do pescador da Marginal”, na voz de Luís Gaspar

António Ramos Rosa:
“A Palavra”, na voz de Luís Gaspar
“Um caminho de palavras...”, na voz de Luís Gaspar

Ary dos Santos:
“A Cidade”, na voz de Diogo Santos
“Cantiga de Amigo”, na voz de Luís Gaspar
“Meu amor, meu amor...”, na voz de Vítor de Sousa

Beatriz Barroso:
“Invento-me...”, na voz de Ana de Sousa

Bertold Brecht:
“Louvor do esquecimento”, interpretado pela Andante
“O vosso tanque, General, é um carro forte...”, na voz de Luís Gaspar

Boris Vian:
“Quero uma vida em forma de espinha”, interpretado pela Andante

Camilo Pessanha:
“Interrogação”, na voz de Luís Gaspar

Carlos Drummond de Andrade:
“Receita de Ano Novo”, na voz de Luís Gaspar

Chico Buarque:
“Tanto Mar”, interpretado pela Andante

Daniel Abrunheiro:
“és / ás”, interpretado pela Andante

Eduarda Chiote:
“Cantiga de Amor”, interpretado por A Musa ao Espelho

Edson Bueno de Camargo:
“Anespirais”, na voz de Luís Gaspar

E. M. de Melo e Castro:
“Poética pícara”, interpretado pela Andante

Eugénio de Andrade:
“Adeus”, na voz de Luís Gaspar
“As Palavras”, na voz de Luís Gaspar
“Frente a frente”, interpretado pela Andante
“Matéria solar”, interpretado pela Andante
“Não quero, não”, interpretado pela Andante
“Sem memória”, interpretado pela Andante

Eugenio Montale:
“A poesia (em Itália)”, interpretado pela Andante

Federico García Lorca:
“Búzio”, interpretado pela Andante

Fernanda Botelho:
“As coordenadas líricas”, interpretado pela Andante

Fernando Assis Pacheco:
“Seria o Amor Português (Variações Sobre Um Fado)”, na voz de Luís Gaspar

Fernando Pessoa:
“Ao volante do Chevrolet pela estrada de Sintra...” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar
“As bolas de sabão que esta criança...” (Alberto Caeiro), na voz de Luís Gaspar
“Autopsicografia” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Dobrada à moda do Porto” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar
“Estou cansado, é claro...” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar
“Gato que brincas na rua...” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Liberdade” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Liberdade” (Fernando Pessoa), na voz de Nuno Miguel Henriques
“Lisbon Revisited” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar
“Não digas nada!...” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Na sombra Cleópatra jaz morta...” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Num meio-dia de fim de primavera......” (Alberto Caeiro), na voz de Luís Gaspar
“O menino da sua mãe” (Fernando Pessoa), na voz de João Villaret
“O menino da sua mãe” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“O mostrengo” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Paira à tona de água...” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Prefiro rosas, meu amor, à pátria...” (Ricardo Reis), na voz de Luís Gaspar
“Quando vier a Primavera...” (Alberto Caeiro), na voz de Luís Gaspar
“Que noite serena!...” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar
“Se sou alegre ou sou triste?...” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Sou um evadido...” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Tabacaria” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar
“Tenho dó das estrelas” (Fernando Pessoa), na voz de Luís Gaspar
“Tenho uma grande constipação...” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar
“Todas as cartas de amor...” (Álvaro de Campos), na voz de Luís Gaspar

Firmino Rocha:
“Deram um fuzil ao menino”, na voz de Luís Gaspar

Florbela Espanca:
“Amar!”, na voz de Sofia Aparício
“Amiga”, na voz de Carmen Dolores
“Eu...”, interpretado pela Andante
“Supremo enleio”, na voz de Carmen Dolores

Francisco Quevedo:
“A um homem com um grande nariz”, interpretado pela Andante

Gabriel Celaya:
“Biografia”, interpretado pela Andante

Guerra Junqueiro:
“A água de Lourdes”, na voz de Luís Gaspar

Hermann Hesse:
“O homem de cinquenta anos”, na voz de Luís Gaspar

Ingeborg Bachmann:
“Coloca uma palavra”, interpretado pela Andante

Irene Lisboa:
“Outro dia”, na voz de Luís Gaspar

Jacques Prévert:
“Paris at night”, interpretado pela Andante

João de Deus:
“Grammatica Rudimentar”, interpretado pela Andante

Jorge de Sena:
“ Carta aos meus filhos sobre os fuzilamentos de Goya”, interpretado por Mário Viegas
“Requiem de Mozart”, interpretado pela Andante

Jorge de Sousa Braga:
“A erva daninha”, interpretado pela Andante
“Portugal”, na voz de Luís Gaspar

Jorge Luis Borges:
“Elegia da lembrança impossível”, interpretado pela Andante
“Um livro”, interpretado pela Andante

José Carlos de Vasconcelos:
“O poema canivete suíço”, interpretado pela Andante

José Gomes Ferreira:
“Areia XXXII”, interpretado pela Andante

José Régio:
“Adeus”, na voz de Luís Gaspar

José Saramago:
“Poema à boca fechada”, interpretado pela Andante

Judith Teixeira:
“Minha vida!”, na voz de Luís Gaspar
“O meu chinês”, na voz de Luís Gaspar
“Podes ter os amores que quiseres...”, na voz de Luís Gaspar
“Quando, não sei...”, na voz de Luís Gaspar
“Volúpia”, na voz de Luís Gaspar

Luís Graça:
“Afectos”, na voz de Luís Gaspar
“Sémen de Poeta sabe a arco íris”, na voz de Luís Gaspar

Luiz Vaz de Camões:
“Alma minha gentil, que te partiste”, na voz de Luís Gaspar

M. Andrews:
“A dor nos olhos...”, na voz de Luís Gaspar

Manuel Alegre:
“Breve poema da hora vã", interpretado pela Andante
“Correio", na voz de Frederico Hartley
“Trova do Vento que Passa", na voz de Manuel Alegre

Manuel António Pina:
“Coisas que não há que há”, interpretado pela Andante
“Na biblioteca”, interpretado pela Andante

Manuel Bandeira:
“Sonho de uma terça feira gorda", interpretado pela Andante

Manuel da Fonseca:
“Aldeia”, interpretado pela Andante
“Canção de maltês”, interpretado pela Andante
“Coro dos empregados da câmara”, interpretado pela Andante
“Domingo”, na voz de Mário Viegas
“Noite de Verão”, interpretado pela Andante
“Partir!...”, interpretado pela Andante
“Segundo (poemas da infância)”, interpretado pela Andante

Maria Azenha:
“cercou-se de luz e cântaros”, na voz de Maria Azenha

Maria do Rosário Pedreira:
“13”, interpretado pela Andante

Mário Cesariny:
“Exercício Espiritual”, interpretado pela Andante

Mário de Sá-Carneiro:
“Caranguejola”, na voz de Luís Gaspar
“Quase”, na voz de Carmen Dolores

Miguel Torga:
“Evocação”, na voz de Aurelino Costa

Natália Correia:
“A Defesa do Poeta”, na voz de Natália Correia

Nicolás Guillén:
“Palavras fundamentais”, na voz de Luís Gaspar

Nuno Júdice:
“Cidade Universitária”, na voz de Frederico Hartley
“Primavera”, na voz de Luís Gaspar
“Semiologia”, interpretado pela Andante

Otília Martel:
“Cálida”, na voz de Luís Gaspar

Pablo Neruda:
“Ode ao vinho”, na voz de Luís Gaspar
“Sobre uma poesia sem pureza (excerto)”, interpretado pela Andante

Rainer Maria Rilke:
“Mas se tentasses...”, interpretado pela Andante

Russel Edson:
“A mama”, interpretado pela Andante
“O banho”, interpretado pela Andante

Ruy Belo:
“E tudo era possível”, interpretado pela Andante
“Um dia não muito longe não muito perto”, interpretado pela Andante

Ruy Cinatti:
“Lembranças”, na voz de Luís Gaspar

Rui Diniz:
“Minhau”, na voz de Luís Gaspar
“Ode aos declamadores”, na voz de Luís Gaspar

Sidónio Muralha:
“A caminhada”, interpretado pela Andante
“A Pátria, de olhos sem fundo...”, interpretado pela Andante

Sophia de Mello Breyner Andresen:
“25 de Abril”, interpretado pela Andante
“Ausência”, interpretado pela Andante
“Esta gente”, interpretado pela Andante
“O Dia”, interpretado pela Andante

Teresa Rita Lopes:
“Os apanhadores de conquilhas”, interpretado pela Andante

Umberto Saba:
“O poeta”, interpretado pela Andante

Vasco Graça-Moura:
“blues da morte de amor”, na voz de Luís Gaspar

Vinicius de Moraes:
“Mar”, na voz de Luís Gaspar

Vitorino Nemésio:
“Outro Testamento”, interpretado pela Andante

Vítor Oliveira Jorge:
“Linha férrea”, na voz de Paulo Rato

5 comentários:

ricardo disse...

Fiquei Profundamente maravilhado com a sua pagina. Gostaria de ter alguns audios mas não consigo...
sempre que queira visite meu blog: rsoares.blog.com

Fernanda disse...

Fiquei «embalada» ao ouvir todos estes poemas lindíssimos. Sempre que quiser sonhar, vou escolher a companhia no seu blog Inês. Obrigada :) Fernanda

Anónimo disse...

...alma gémea da minha...

...o teu papel...para a poesia...é como a
gulbenkian...para a cultura...os meus parabéns...e para o Luís Graça...
á altura do Cintra...mas o Villaret e o Viegas...ainda planam...

jackeline disse...

Sem abusar de vossa paciência e generosidade, gostaria de saber se vocês possuem essas poesias (principalmente às de Fernando Pessoa) em formato mp3 para disponibilizar, não estou conseguindo sequer ouvi-las, pois não consigo instalar o pluguim correspondente e isso me frustra! Por obséquio, se puderem me fazer este favor, mande-me um e-mail (a_noiva_do_vento@hotmail.com)
Agradeço desde já.

Menina_marota disse...

Oh... fiquei triste...queria levar daqui o som de um poema para colocar no meu blogue e não consigo :(((((((

Bjinhos