quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Um livro de poesia a cada dia...
nem sabe o bem que lhe fazia


Versos Nus
Tiago Nené
Magna Editora, 2007







Ela ama-me

Ela ama-me, eu controlo isso.
O amor por nós não está fora do nosso alcance...
(É o nosso alcance.)

Ela ama-me porque eu tenho noção exacta...
Da imagem que possuo.
(Ela pensa que eu sou como sou.)

Ela ama-me, mas nunca viu o meu amor;
Viu apenas a imagem de um amor que nem é meu.
(El pensa que eu sei amar.)

Ela ama-me, diz-me agora, por eu ser diferente.
Ela não sabe que a diferença raramente é criada por nós.
(Ela não sabe nada do mundo.)

Ela ama-me e autodenomina-se de louca.
Penso que ela não sabe muito bem o que é a loucura.
(Porque só a loucura a podia salvar.)

Ela ama-me talvez porque precise de amar.
Penso que ela tem problemas afectivos e mentais
(É impossível alguém me amar)

2 comentários:

MADRUGADA... disse...

fez-me sorrir.

Vento disse...

Será assim tão fácil complicar aquilo que sentimos, quando um pequeno gesto pode dizer tanto.