quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Prémio de Poesia Bocage 2009

O poeta Amadeu Baptista recebeu ontem (dia de Bocage), no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal, o Prémio Manuel Maria Barbosa du Bocage 2009, modalidade de poesia, promovido pela LASA (Liga dos Amigos de Setúbal e Azeitão).
O júri do concurso atribuiu por unanimidade os prémios a Amadeu Baptista, pelo trabalho “Atlas das Circunstâncias”, prémio de Poesia (2500 euros) e a Mário João Rosas Rebelo Correia, pelo trabalho “A Insónia”, prémio Revelação (1500 euros).
Na cerimónia de entrega do prémio, perante a ampla assistência e os membros da mesa composta pelo representante do Governo Civil de Setúbal, a Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, o Presidente da LASA e o Presidente da Biblioteca Nacional em representação do Ministro da Cultura, Amadeu Baptista explicou que, sendo um poeta desempregado e porque tendo várias vezes solicitado ao Ministério da Cultura o estatuto de mérito cultural (do qual nunca obteve resposta, apesar de ter 30 livros publicados e ter recebido até ao momento 10 prémios literários, sendo este o 11.º) concorre a concursos literários para não ser um indigente. E perante a mesma assistência e plateia, Amadeu leu, do primeiro ao último verso, o poema que escreveu há poucos dias sobre Jorge de Sena, que me enviou para publicação neste blogue e que pode ser lido aqui.

8 comentários:

Anónimo disse...

Terá Bocage, na cova escura, ontem ao final do dia lançado uma enorme gargalhada?

Anónimo disse...

terá , certamente !
10 livros publicados , e quer um subsídio e vão-lhe dando .
O que quer mais ?
Ramiro Borges

Carlos Teixeira Luis disse...

Parabéns a Amadeu Baptista.
Mereceu sem dúvida, mais um prémio. Desejo-lhe muitos mais. Desejo-lhe reconhecimento REAL. Amigos leitores e amantes de POESIA, Amadeu Baptista tem de ser mais lido.
Ou então, que terra é esta que despreza os seus filhos mais talentosos? Porque não gostamos de quem ganha muitos prémios? Porquê?
Amadeu Baptista, um grande abraço e que o Ministério ou outra entidade possa agir em prol do bem comum, a nossa preciosa Poesia.
Tempos difíceis são estes, claro. Não há muitos fundos para gastar, dizem. Então, não desperdicem milhões.
Viva a Poesia!

Jorge disse...

Amadeu Baptista, um dos poetas mais importantes da minha geração, e da Literatura Portuguesa, não merece que se lhe façam comentários sob a capa do anonimato. Nem, em rigor, que se lhe deturpe o que vai escrito, como lamentavel e ínicamente, o fez Ramiro Borges.
Amadeu, para além de um enorme poeta é um corajoso Amigo meu que sempre disse o que quis dizer, sempre escreveu o que quis escrever e sempre o fez sem a ninguém ter pedido intermediação -- por isso o poema a Jorge de Sena -- por isso o ter dito frontalmente no local indicado -- por isso o ter feito escutar a quem teria de ouvir.
Obrigado, Amadeu. Sempre.
Jorge Velhote

Anónimo disse...

O Sr. Ramiro Borges não percebeu: o poeta Amadeu Baptista NÃO recebe subsídio algum. Nem o rendimento mínimo. Tem direito ao subsídio de mérito cultural, já que é um dos poetas portugueses mais premiados, mas não o recebe. E como Amadeu Baptista explicou, concorre a prémios literários para não morrer de fome. E se os vai ganhando é porque o seu talento apenas é reconhecido pelo júris, através do anonimato com que concorre aos prémios.

Anónimo disse...

O descaramento com que o anonimato se mantém é execrável, para mim, mesmo que concordando com a opinião das 4:16PM.

Mas, poderei deduzir que se não fosse a capa do anonimato Amadeu Baptista talvez não fosse premiado?

De facto, Amadeu, já foi distinguido com prémios literários por livros editados e isso, para além do mérito do autor, também honra o Júri.
Jorge Velhote

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Amadeu Baptista é um grande poeta , sempre o li com atenção com grande prazer ... Dele destaco o grande poema que é a balada de neve !
Um poeta deve ser reconhecido em vida , e o seu labor merece essa distinção ...
Parabéns ao poeta que foi à cidade do sado receber o prémio.

Anónimo disse...

Amadeu:
Parabéns La invidia, la puta invidia
pierre sauvage