sábado, 8 de dezembro de 2007

Hoje nasceu...




8 de Dezembro de 1894

Florbela Espanca

Poetisa portuguesa




Artigos relacionados:
Biografia
Poemas: Eu... ; Ser poeta ; Se tu viesses ver-me... ; Árvores do Alentejo ; Soneto VII ; Amar! ; Amiga ; Supremo enleio
Na estante de culto: Florbela Espanca – Poesia completa

4 comentários:

rato do campo disse...

A nossa Florbela! E pensar que andei declamando " eu quero amar, amar perdidamente, esta tarde, lá no trabalho... Bom fim-de-semana!

marias disse...

Adoro ler Florbela Espanca e os seus sonetos apesar de tristes como ela são de uma beleza transcendente.
Obrigada por trazer Florbela aqui!...

Hyoma disse...

Obrigado por este post e esta oportunidade de relembrar, essa grande Mulher...A sua poesia é de facto única e quase inexprimível...Apesar de muito, muito triste de vez em quando gosto de me passear por entre as suas palavras. Agradeço a recordação.
Bom Domingo!

geraldo disse...

Querida Inês,
Um verdadeiro acêrvo cultural. Estás apresentando poemas que para muitas pessoas são desconhecidos. A poesia de Florbela Espanca tem este lado melancólico mas que não tira a sua beleza. O poeta Augusto dos Anjos, brasileiro, tem algo parecido, pelo menos na minha ótica.
Um belo início de semana.
Geraldo
http://www.geocities.com/geraldom3